sábado, 11 de março de 2017

Conhecer Amesterdão com Anne Frank!

 

“Não quero que a minha vida tenha passado em vão, como a da maioria das pessoas.
Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àquelas que jamais conheci.
Quero continuar a viver!” 

                                                                                            Anne Frank

O acesso aos bens culturais de qualidade contribui para que o ser humano seja capaz de conquistar a autonomia e a criticidade que geram a pluralidade de ideias e a construção de uma identidade sólida. A aprendizagem só é significativa através da prática, do contacto direto com o que nos rodeia e de uma constante reflexão sobre o mundo.
Cidadania e cultura convivem e caminham lado a lado na vida de todos nós, comungando de ideias e saberes que nos formam e nos conduzem pelas avenidas largas do conhecimento. A teoria e a prática têm de se conjugar, mas sentir os lugares e espaços com identidade histórica e cultural do património local e universal contribui de forma significativa para a compreensão do que nos rodeia e do que vai acontecendo pelo mundo.
É com estas perspetivas que nos devemos preocupar com a formação dos nossos jovens e crianças, ou seja, uma Educação para a Cidadania Global: transformativa, envolvendo os alunos na construção de conhecimentos, capacidades, atitudes e valores basilares para a promoção do respeito pelos direitos humanos, justiça social, paz, diversidade, igualdade de género e sustentabilidade ambiental” (UNESCO, 2015).

Partindo destes princípios, professores e alunos do Agrupamento de Escolas Latino Coelho, Lamego, após alguns meses de preparação sobre a temática do Projeto Conectando Mundos – Direitos sem Fronteiras –,aliada aos objetivos do Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento 2017, decidiram que o culminar da operacionalização destes dois projetos seria uma visita de estudo à Casa Museu Anne Frank, em Amesterdão - Holanda. Este local é um símbolo histórico e de resistência humana em plena Segunda Guerra Mundial. Os vários textos, atividades e debates sobre este espaço escondido numa casa, motivaram os alunos para uma visita ao anexo exíguo que Anne Frank, a sua família e amigos habitaram cerca de dois anos antes de serem presos pela polícia alemã
numa das ruas da capital da Holanda - Amesterdão. A necessidade de contactar de perto com objetos, divisões da casa e o seu Diário, despertou a curiosidade para melhor compreenderem e também descobrirem sensações no próprio local cheio de histórias.
Cultura é reciprocidade de interesses e de ideais. Representa um todo porque é memória, é História, é civilização e progresso. Conviver com obras culturais e artísticas, ter acesso aos bens culturais produzidos pela humanidade contribui para o desenvolvimento da capacidade de observação, da sensibilidade, da leitura do mundo e da relação com os outros.
Foram dias de muitas emoções, de silêncios e de cultura! Desde a Casa Museu de Anne Frank aos museus da cidade de Amesterdão (Van Gogh, Rembrandt, queijo, tulipas …), às ruas pitorescas e constantemente percorridas pelos seus habitantes em bicicletas, até às flores e canais, as cores, os barcos-casas, os diques e os moinhos! Todos puderam constatar o ambiente de liberdade e de cosmopolitismo que esta cidade europeia consegue transmitir àqueles que a visitam, tendo permitido aos alunos e professores fazer “pontes” entre a sua cultura e a dos holandeses e aprender outros aspetos desta cultura do norte da Europa. A cidade é organizada, tudo tem o seu lugar próprio, pensado e construído por pessoas que mostraram sempre valor pela arte e pela liberdade humana.
O lema da cidade, “Valente, Decidida e Misericordiosa”, define-nos o verdadeiro caráter deste povo, homenageando a coragem dos seus habitantes durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, vários saberes se encontraram na encruzilhada da cultura e da cidadania, confrontando opiniões, vivências, aspetos culturais, geográficos e humanos, numa interação constante com a arte, a História e o quotidiano holandês.
A nossa digressão por esta cidade, que tão bem nos acolheu, entre os dias 26 de fevereiro e 1 de março, foi uma aventura! Apesar da chuva e do frio, conseguiu seduzir-nos e intrigar-nos com a sua beleza arquitetónica e humana. Com toda a certeza que nunca iremos esquecer esta viagem, não só por causa do que sentimos na Casa Museu de Anne Frank, mas também por tudo aquilo que observámos em Amesterdão, uma cidade que transpira cultura, juventude, serenidade, ecologia e tolerância.

Alunos e Professores que participaram na Viagem a Amesterdão
Agrupamento de Escolas Latino Coelho, Lamego



Sem comentários: